Se você tem algo a pedir, peça a você mesmo.

 

 

SERÁ QUE SÓ PEDIR AO UNIVERSO RESOLVE TUDO?

 

Você já deve ter lido ou visto o filme “O Segredo”, no qual muitas pessoas afirmam que se você repetir várias vezes um desejo e acreditar na sua realização, ela acontecerá. Ou, se você mantiver a mente ligada em algo, por sintonia atrairá aquele algo. 

 

Se você não viu o filme nem leu o livro, certamente já ouviu falar da Lei de Atração, não é?

 

Depois deste filme/livro, muitas e muitas pessoas têm testado se manterem em conexão com pensamentos positivos, com pensamentos de prosperidade, de saúde, de beleza, de riqueza.  Mas muitos desistem, porque nem sempre isso funciona.

Já ouvi relatos do tipo:

- Eu penso todos os dias em tal situação, eu desejo de verdade, mas acho que isso não funciona para mim.

Alguns desacreditam e desistem e outros ainda cansam de esperar.  Há também uma corrente de pessoas que dizem que tudo que você jogar para o Universo ele lhe devolverá, e realizará na sua vida.

 

Então, pedem mudanças de comportamentos, casas, dinheiro, um novo amor, cura, etc. Mas a grande maioria também não obtém o que pediu ou jogou para o Universo.

SE VOCÊ ESTÁ ESPERANDO EU DIZER QUE TUDO ISSO É BOBAGEM, SE ENGANOU!


De fato tudo isso pode acontecer sim. Mas não que “alguém ou algo” fará por você ou trará para você.

O caso é que se você programa a sua mente para uma mudança, automaticamente ela guiará os seus passos para que aquilo se realize.

 

Se você conseguiu com sua determinação que o seu inconsciente se empenhe na conquista do que você quer, a coisa acontecerá de uma forma tão natural que realmente parecerá um milagre.


 Então, por que “as coisas” que desejamos, com as quais nos conectamos, ou enviamos para o Universo, ou que alinhamos pensar, querer, sentir, não acontecem? Ou acontecem apenas para algumas pessoas? E quando acontece exatamente o contrário do que você tanto desejou e alinhou dentro do seu mundo consciente?

Bem, a resposta não é tão obvia e nem esotérica do tipo:  - É o karma!   Ou: - É porque não tenho merecimento para isto. Ou pior ainda: - É porque não me esforcei não me sacrifiquei o suficiente para merecer isso. 

Se você pensou em algo assim, já vou avisando que é possível que exista em você um forte componente de vítima do destino e de si mesmo! Dê uma olhada com carinho e cheque a sua necessidade de vitimizar-se para justificar alguns insucessos.  

Existe dentro de você e de todos nós que temos “MENTE”, uma infinidade de “partes” ou de “você” que tem vida própria, autônoma e que decidem o que vai acontecer com você sem que você tome conhecimento. Estas partes habitam o seu inconsciente e são pedaços de programações que você mesmo fez em algum momento de sua vida e que ficam se autoexecutando, como se fosse um vírus de computador.  Mas o mais interessante é que estas partes tem como representação a sua imagem, a forma que você tinha na idade em que se programou. E pensam e agem como você quando tinha aquela idade.

Vou dar um exemplo:  uma cliente estava com sérias dificuldades para ganhar o seu sustento. Já havia passado por vários empregos com sucesso, mas quando se assumiu uma função de autônoma, não conseguia auferir lucros.

 

Fizemos algumas sessões com EFT, e partimos para a PNL, num trabalho na linha do tempo. Iniciamos a regressão e então ela se viu com 3 anos de idade e muito brava brigando com a sua mãe. Pedi a ela que se aproximasse da criança e perguntasse o que estava acontecendo, porque estava brigando. E a criança simplesmente respondeu: - Eu não preciso de dinheiro! Eu não quero dinheiro nem gente rica para brincar.

A cliente então lembrou-se que quando era pequena gostava de brincar com os mendigos que passavam na rua pedindo comida. Que os convidava para entrar e sentarem na sala e levava as crianças para desfrutar dos seus brinquedos.

 

A mãe começou a se preocupar com o comportamento da menina e ao tentar explicar porque não era conveniente trazê-los para dentro de casa ou levá-los para o quarto de brinquedos, citou como recurso durante a explicação, que eles não tomavam banho  porque não tinham casa, não tinham dinheiro.

Por algum motivo a menina se irritou com aquilo e querendo convencer a mãe a deixá-la brincar com seus “amigos”, decidiu que não precisava de dinheiro porque sendo assim, poderia brincar com eles.

Esta decisão:  – “Eu não preciso de dinheiro, eu não quero dinheiro”  gerou uma programação que se auto repetia.

 

Enquanto a minha cliente trabalhava em uma empresa, o dinheiro vinha na forma de salário. Mas quando se viu acuada para obter o dinheiro diretamente, esta programação se opunha e não permitia que ganhasse dinheiro, afinal “Eu não quero dinheiro”.


Enfim fizemos o procedimento de harmonização e a criança de 3 anos se reintegrou ao sistema e amadureceu até os dias de hoje, desfazendo assim aquela programação que impedia a mulher de hoje, de 40 anos de obter sucesso financeiro.
 

Assim como esta parte, esta menina de 3 anos de idade existem milhares de outras partes de todas as idades que “ainda não sabem” que os tempos mudaram e que suas decisões estão causando danos à pessoa na qual se tornou.


 Esta menina de 3 anos naquele momento de briga com a Mãe estabeleceu para si, algumas crenças de acordo com sua percepção infantil:  


 1 -Eu não preciso de dinheiro para ter o que eu quero – no caso era brincar com os mendigos


 2- Se eu tiver dinheiro eu não posso fazer o que eu quero – no caso, ter amizade com os mendigos


 Voltando para a tal da Lei de Atração, aquela mulher que já havia sido alta executiva em grandes empresas não conseguia atrair dinheiro para o seu negócio, por causa das crenças limitantes que estabeleceu aos 3 anos de idade. E assim como esta parte (menina de 3 anos), há milhares de outras, cada uma com suas razões.

 

Eu, particularmente tenho obtido resultados fantásticos comigo mesma e com meus clientes, utilizando as Técnicas Positivas.

Claro, o trabalho é longo, pois implica em detectar as limitações, as crenças, os traumas, e os principais empecilhos.


Os resultados são imediatos, e se aplicam tanto a questões emocionais, financeiras, de desempenho em todas as áreas da vida, como também a doenças físicas inclusive em estados já bem avançados. Há relatos de cura de câncer e de tantas outras doenças.



Em outras palavras, “peça o que você quiser, que você obterá”. Obviamente, elefantes não voam! Bem, pelo menos eu acredito que não...

 ​
Quer experimentar? Marque um atendimento. Harmonize-se! Viva feliz.

Atendimentos presenciais:  Rua 4 de agosto, 103h - Saúde - São Paulo/SP - próx metrô Pça da Árvore

                                              

 (11) 99976-3050   

rosangela@harmonizesevivafeliz.com.br

BOM É SER FELIZ POR INTEIRO. INFELIZ OU MEIO FELIZ NÃO FAZ BEM PARA NINGUÉM

© 2017 by Rosangela Cotroni Valenti - CRTO 1764 - os atendimentos aqui propostos não dispensam o tratamento médico